domingo, junho 27, 2010

Na Tuna Meliches há cábulas...

... como se comprova com esta, do Rafaelito para o «Cu-curru-cujães», no 13º Encontra-a-Funda:



Para quem não foi, aqui fica:

"Sobre o sublime Cucurrucucu Paloma
Actualmente divulgado por Caetano Veloso (filme Hable Com Ella, de Pedro Almodovar)
Com composição de Tomás Méndez

Uma paródia no 13º ENCONTRA-A-FUNDA (Junho de 2010), da autoria de Jorge Castro, na Taberna da Pica, em Cucujães

Dizem que certa noite
lá pela Pica se ouviu cantar
e mesmo sem cedilha
todos à Pica foram jantar
Jura quem tal ouviu
que a noite se abriu em luar estrelado
quando a Tuna cantou
e alguém entoou poema molhado

Ay, ay, ay, ay, ay
Cantaram
Ay, ay, ay, ay, ay
Gemeram
Ay, ay, ay, ay, ay
Cantaram
rojões bacalhau comeram

Foram-se às parideiras
mas com maneiras a passear
foram-se a Arões, Lameiras
e ao Trebilhadouro também cuscar
mas no Sãorau à noite
é que foram elas na maior desbunda
quais tachos e panelas
no melhor pedaço do Encontra-a-Funda

Cu-cu-rru-cujães
n’A Funda
Cu-cu-rru-cujães
na Pica
Que queres tu mais
Sãozinha
dá-me a beber mais
borrinha *…"

* Por acaso a bebida da Taberna da Pica (à base de aguardente, mel e café) chama-se borradinha.

terça-feira, junho 22, 2010

Gémeas Joana e Mariana Moura abrem o Jornal da Noite da SIC em 2010-06-21

De todas as imagens que a SIC tinha com os festejos, pelo país e arredores, dos 7 a 0 que Portugal deu ontem à Coreia do Norte no Campeonato Mundial de Futebol na África do Sul, adivinhem lá qual escolheram para abrir o Jornal da Noite...

sexta-feira, junho 18, 2010

13º Encontra-a Funda: Reportagem da Tita, Ela aponta e eu pimba!

Serra da Freita.




A mascotita toda satisfeita.


Frutos do acaso.

Descoberta de uma jazida de parideiras.




Momento de poesia ao ar livre.




Olha que esta! Aperto de bochecha? E não é que a gaja está com cara de quem gosta??

Compenetrados no "buraco".

Um caso de extraordinária fertilidade.

Em cima da anta. E também havia quem se metesse debaixo dela...


Taberna da Pica em noite cedilhada.




Já se vê porque é que ela fica toda maluca!





E eu? É só beijos? E bacalhau e rojões? Nada?


Um dos momentos altos da noite.




A Adelaide por detrás de um veterano.

A malta toda fresquinha após uma noite de repouso com muito silêncio.



No das senhoras havia dois moçoilos mais vestidos que despidos. Está mal. Aqui era tudo cheio delas, boas e a pedi-las.



Mais uma vez muito "compenetrados", e também intrigados com o papel dos "cônes" no processo produtivo.



Montes de "cônes".


Máquina multifuncional.

E esta foto especial tirei-a para a São, que é uma mulher cheia de imaginação, e lá haverá de arranjar maneira de dar uso a isto.


Quem se interessar, poderá encontrar outras fotografias genéricas captadas no evento no meu blogue de fotografia Erva Vagabunda http://ervavagabunda.blogspot.com/