quarta-feira, fevereiro 27, 2013

«A conspiração» - a gloriosa jornada da Tuna Linha pela pena (de pato) do Mestre escriba Quito


Todos contra o humilde campesino...

Fosse eu o Jorge Jesus de águia ao peito, que logo vos diria perante as câmaras da televisão: “acardito que está aqui montada contra mim uma cavala para destruir a minha reputação”. Uma cabala, dirão vocês. Não, uma cavala, porque o que me apetece mesmo é fazer aqui uma peixeirada !!!
Esta é uma história muito violada. A rapaziada entendeu – e bem- fazer mais um chinfrim de protesto, contra a prepotência de quem retirou aos seus utentes o comboio da Lousã, a pretexto de um badalado Metro – Mondego. Acabou-se o dinheiro e agora, nem metro nem comboio e quem se lixou são sempre os mesmos.
Ficou assim aprazado o protesto e a rapaziada lá se passeou pela defunta linha. O campesino, vindo de Salgueiro do Campo, aguardou-os no Parque Verde, bebendo uma bica e dando pacientemente pão aos patos que grasnavam pelo bocado apetecido.
Depois, chegou a procissão, com o Senhor Conde de Caria à frente de boné branco na cabeça e viola a tiracolo que, mal me viu, fez um sorriso de orelha a orelha e disse-me babado de vaidade: “ó campesino, já estou há mais de uma hora a violar em cima dos carris”.
Da mesma performance se gabaram o Antonino e o Carlos Carvalho com as botas todas esmurradas de tanto tropeçar no cascalho . O João Cortesão, mais comedido, não fez comentários, porque é um tipo decente.
Depois seguiu-se o almoço, com a carrinha da comida a chegar e uma multidão a abrir a porta traseira sem pedir autorização para tirar o farnel, tendo a cozinheira fugido espavorida a 2OO à hora pela Avenida Urbano Duarte.
O repasto foi uma vergonha. Não havia ali um único que tivesse lido o “Manual de “Etiqueta”. O Viana, em tom provocatório, ia acariciando a barriga a dizer: “este bacalhau com natas vai saber-me a pato”.
O João Cortesão, talvez por ser o mais bonito de todos, era muito requisitado pelo elemento feminino, pedindo-lhe que tirasse fotografias…” Ó João, tira-me aqui uma fotografia com o bolo da Celeste Maria … ó João tira-me aqui uma fotografia com os meus moinhos de vento… ó João tira-me aqui uma fotografia a apanhar a Torre da Universidade …”.
Entretanto, chegou um contestatário com a família, que trazia dentro de uma marmita um frango para consumo pessoal. O que aconteceu a seguir não tem explicação. O grupo atirou-se ao galinácio sem cerimónia, ao ponto de se gerar uma “formação espontânea” por cima da marmita. Aquilo já nem parecia um “pic-nic” ! Parecia um jogo de rugby!!!
E foi a partir de aqui, que as coisas começaram a azedar para o meu lado. No fim, de barriga forrada, fui ajudando a meter no lixo os destroços da batalha, cheio de boa vontade.
Recorda-me de ter deitado fora uma dúzia de pratos sujos e duas asas de galinha, onde, numa delas, até estava cravada uma dentadura rachada, tal era a gula!!!
Acusam-me agora – Rafael, Carlos Carvalho, Celeste Maria, Olinda e outros que mais – de eu ter atirado para o lixo, um serviço de jantar da Vista Alegre, pintado à mão. Não contentes, alguém meteu na bagageira do meu Ferrari, a estante das partituras do Castelão, que me acusa de a andar a passear por Portugal inteiro. Por acaso tem razão !!! Já fez mais de 7OO quilómetros!!! O objetivo é óbvio. Incriminar o campesino. Olha que um cabrito assado com grelos do “Manuel Júlio” não se lembraram de lá meter, não!!!
O Dom Rafael teve até a lata de dizer que andou a meter a cabeça em todos os caixotes do lixo do Parque Manuel Braga para recuperar a baixela, investido no estatuto de “sem-abrigo”.

Em resumo: andam a tramar uma conspiração contra mim. E da próxima vez que me convidarem para aderir a um movimento cívico, eu faço-vos as “armas de S. Francisco”. Manifestações e almoçaradas, agora, só com a malta do “Jornal do Fundão”…

Quito Pereira
Blog «Encontro de Gerações» e crónicas regulares «Beiras» no «Jornal do Fundão»

10 comentários:

  1. Está aqui e muito bem! Mas só até aqui...
    O que foi apanhado pela câmara oculta deve ficar ocultado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É a isto que se chama "o culto"... secreto?

      Eliminar
  2. Vista Alegre? Só se era para o rio porque no apeadeiro nem comboios havia...
    (confusões de campesino,eheheh)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Devia era aparecer a polícia, para lhe fazer uma Revista Alegre!

      Eliminar
  3. "Fotógrafo"; "Mais comedido" "Decente"?!! ahahahahahah, gostei principalmente do ùltimo adjectivo!
    Um abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E "O João Cortesão, talvez por ser o mais bonito de todos, era muito requisitado pelo elemento feminino, pedindo-lhe que tirasse fotografias"?

      Eliminar
  4. Vicentezão7/3/13 00:16

    Apoio o campesino, principalmente na parte do cabrito do "Manuel Julio"... Pode ser que com este apoio haja uns grelitos para mim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Só se levares frango!

      Eliminar
    2. Vicentezão7/3/13 19:17

      Levo o pescoço do frango... e depenado!!!

      Eliminar
    3. Paulo Moura7/3/13 22:02

      E podes continuar a depená-lo lá!

      Eliminar

Tuna Tecales!