domingo, setembro 14, 2008

Não há nenhuma Mata da Margaridaça!

Alunos holandeses do mestre Antonino mais alguns penduras e respectivas famílias, visitaram a Fraga da Pena, Piódão, a mata da Margaraça, as ginjinhas de Montefrio, o santuário de Nossa Senhora das Preces e, graças aos sistemas GPS sofisticados do Paulo e da TriMargarida, uma série de estradas e caminhos florestais que não davam para lado nenhum.


Já estávamos a precisar de arejar.



As coristas do grupo «Kizomba na Sanzala»



Quem é mais alto, quem é?



À falta de guarda-chuvas, a organização distribuiu a cada elemento uma protecção alternativa. Ninguém quis. Devia ter chovido, para aprenderem! E agora, o que faço ao stock?



Na praia fluvial de Côja.



É de louvar que haja protecção de espécies.



Como observou o Antonino, "se são pobres, como podem ter património?"



Abençoado sejas, Julian, entre as mulheres.



O mestre Antonino saúda o bom povo da Fraga da Pena.


Recomendo aqui que ponham o som bem alto e estejam com atenção às imagens. Não é todos os dias que se consegue filmar uma praga de gafanhotos a invadir a Fraga da Pena:



O Julian triste porque o mulherio não lhe liga.



Ó Rafael, aqui está a tua!



O grupo em filinha pirilau. Aqui já era quase plano e já não tivemos que cantar o «Sobe, sobe, cabrão, sobe»* do início do percurso.


* a letra completa, para quem não sabe e não esteve lá, era:
"Sobe, sobe, cabrão, sobe
Vai pedir ao Antonino
Traga um elevador
Mesmo pequenino"



Bem... aquilo era mais uma fila ratinha...



E ó Rafaelitolindo, que ideia foi a tua de dares um Salamancano quando não tínhamos para onde fugir? Tu lá explicaste: "Não dou Salamancanos em vão".



A descer e pela estrada também eu!



A unha rachada da TriMargarida e a solidariedade do Rafaelitolindo.



A fome apertava... e havia poucas bananas para tanta procura :O)



Até me arrepio...



... só de ver isto...



... não há homem que aguente...



... bem, excepto o Julian, que nem deu pela presença da sereia Letícia.



A estudantada holandesa também entrou no frigorífico.



... com a Cláudia a demonstrar os benefícios da natação sincronizada para os glúteos.



A Alice em ponto de rebuçado para uma serenata.



Tomais banho em água gelada?! Não sois minhas filhas...



A Letícia aponta para uma lesma... e ai de mim se me viesse embora enquanto a lesma não entrasse na água (nem chegou a entrar na hora seguinte)...



A Letícia e a Mafalda em estágio preparatório para o início das aulas.



Não deviam estar a comer fruta?!



Descalços vêm da Fraga
Os Erasmus pelo xisto
Vão formosos que isto só visto



As nossas viagens têm sempre uma componente científica em que questionamos a ortodoxia e pomos em causa ideias pré-concebidas. Desta vez, provámos que não há nenhuma Mata da Margaridaça! A foto, essa, teve que ser soft e sem se ver a cara: "Vê lá, que muita gente me conhece na Baixa". Não te preocupes, TriMargarida, que só eu é que me apercebo que tens a unha rachada.



Ó TriMargarida, como é que conseguiste perder a traseira de uma carrinha tão grande?



Com esta nova geração, há sempre um espaço para fotografias de moda.



A minha sorte é o Antonino ser um gajo atinadinho.



No Piódão juntou-se mais um membro ao grupo. O Farrusco. "Não é nada. É Bola de Pêlo". Farrusco! "Bola de Pêlo". Farrusco! Viste, Letícia? Estou a ganhar, que fui o último a dizer: Farrusco!



Como disse o Antonino, "depois do autocarro se ter ido embora, somos o grupo maior aqui no Piódão".



O casario do Piódão... e nós na esplanada...



A despedida. Fico à espera que os Erasmus me digam qual é o medicamento que devo tomar para deixar de fazer figuras tristes. A gerência (isto é, a minha mulher) agradece.



A TriMargarida traz sempre para estes passeios alguma coisa para dar trabalho. Quando fomos à serra da Freita foi um cão com seis meses que o Mário Rui teve que levar ao colo a partir de meio do trajecto. Desta vez foi a Letícia... e não estava lá o Mário Rui. Calhou a sorte a quem tinha o palito mais curto...



O regresso. A carrinha lá ao fundo... e a TriMargarida, contra tudo o que aprendeu, a mais de trinta passos de distância. Depois diz que a culpa é do GPS, coitadito...



Vês, Letícia? Esta foto é só para ti. Para que não digas que te enganei, sou maluco da pinha mas também muito responsável (bipolar, disse o Antonino). Cá está, como instruíste, a pinha com as flores e o tomate (se lhe chamaste assim, é porque é e eu não sou ninguém para te contradizer), a flutuar dentro de água.


Só precisava de um esclarecimento:
Antonino, eu passei dos limites?

9 comentários:

  1. Prof quanto dá à reportagem do PM, de a 20?
    Eu não digo para não influenciar!

    ResponderEliminar
  2. Eu estou nervoso mas não é por causa da nota. Preciso é saber se pasei dos limites...

    ResponderEliminar
  3. Tenho dúvidas... mais que vinte não dou porque para isso, passava eu dos limites. Muito obrigado pelo dia de ontem e pela vossa maluqueira.

    ResponderEliminar
  4. Se tens dúvidas e és o professor, imagina eu.
    Eu é que te agradeço o teres mais uma vez confiado em mim para dar cabo do vosso recato :O)

    ResponderEliminar
  5. celestelinda14/9/08 19:01

    Na minha opinião só passaste dos limites na reportagem!

    Não é só cinema mudo,os artistas são de primeira,a realização é óptima e o guião está bem estruturado.

    Proponho uma candidatura a óscar.

    Ao Antonino pergunto: Para quando outra passeata?

    ResponderEliminar
  6. Eu só vou se ele prometer que não me atira para o lixo num sítio onde não seja proibido!

    ResponderEliminar
  7. Joana Moura14/9/08 23:25

    Eu quero mais passeios destes, tenho dito! São sempre bem agradáveis.
    Ó pai, podias era ter avisado que só ia um gaijo para eu micar! ahaha

    ResponderEliminar
  8. Ò JOANA NÂO TENHO NO MEU DICIONÁRIO A PALAVRA "MICAR"!
    A ÚNICA QUE MAIS DE APROXIMA É "MIJ(C)AR"
    MAS O EURASMUSEIRO TAMBÉM NÂO MERCIA NADA DISSO!

    ResponderEliminar
  9. E, com o cabelo comprido, de costas, até se podia confundir...

    ResponderEliminar

Tuna Tecales!